quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

O que acontece quando intercedemos uns pelos outros no Reino Espiritual?

Dificilmente hoje em dia alguém quer deixar as suas necessidades, problemas e dores para ajudar alguém a se levantar, a enxergar e até mesmo a viver a vida que Deus nos deu.

O mundo hoje em dia mais do que em todos os tempos se encontra individualista, egoísta e sem amor. Vivemos em dias onde as pessoas buscam a realização pessoal, profissional até mesmo ministerial, mas na maioria das vezes não trabalham com sentimentos ou preocupações em ajudar e sim em destruir uns aos outros, na linguagem popular, não se importam em puxar o tapete.

Como estamos buscando a excelência do caráter que Cristo tem para nós, aprenderemos que quando colocamos nossa vida a disposição do Reino, todas as coisas mudam, onde existiam trevas, agora luz, no lugar da doença, cura; no lugar dos vícios, libertação; no lugar do desamor, amor; e assim por diante. Mas com tudo isso devemos lembrar sempre que o inimigo das nossas almas tentará mais do que nunca nos matar de todas as maneiras possíveis.
Em segundo lugar quando intercedemos uns pelos outros, entendemos o amor que Jesus sente por nós, vai além do que pensamos ou sentimos; pois na posição de intercessores sentimos o que a pessoa passa, podendo identificar através da revelação de Jesus Cristo os pontos a serem trabalhados para que o tratamento de Deus seja eficaz e o nome d’Ele seja glorificado.

A cada passo, a cada conversa, a cada oração, a cada abraço criamos um vinculo de amor e carinho, fazendo com que a realidade que precisamos uns dos outros seja mais séria e verdadeira, com isso fazemos discípulos, semeamos o ensinamento para que lá na frente possamos colher frutos de maturidade de pessoas tratadas, convertidas e com caráter de Cristo.

Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber. 
Atos 20:35

Um comentário:

  1. Li isso em uma foto da Ana Paula valadão
    Se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor. Para Deus, a verdadeira religião, pura e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se deixar corromper pelo mundo".

    Penso assim como você Ana, todos muitos centrados em si mesmo.
    e o Ide tem ficado pra depois...

    ResponderExcluir